Team Foundation Server como ALM – Parte 1

24 abr

Fala Galera,

Ao longo da minha vida profissional desde o inicio como Programador e agora como Arquiteto de Sistemas, sempre acreditei que ter um ciclo de desenvolvimento de software claro e funcional utilizando as ferramentas corretas nos ajudaria a criar software com qualidade, produtividade e que gere valor para a empresa no qual trabalhamos. Contudo definir um ciclo de desenvolvimento de software não é algo tão simples, requer atenção, planejamento, dedicação e claro perseverança.

Definir um ciclo de desenvolvimento de software é que chamamos de Application Lifecycle Management. Para explicar o ALM resolvi criar uma série de posts sobre o assunto abordando o Team Foundation Server como principal instrumento do ALM.

O que é o Application Lifecycle Management?

Podemos dizer que o Application Lifecycle Management é a união entre a gerência de negócio com engenharia de software, que se tornou viável graças as ferramentas que facilitam e integram processos como análise de requisitos, modelagem de arquitetura, desenvolvimento de código, gerenciamento de mudanças, gerenciamento de testes e gerenciamento de versões de software.

Seus principais benefícios são:

  • Aumento de produtividade;
  • Aumento de qualidade;
  • Aumento da comunicação entre os membros da equipe independente se os membros estão localizados no mesmo local ou remoto;
  • Aceleramento do desenvolvimento através de uma integração simplificada, distribuindo atividades de acordo com a necessidade do projeto e organizando os recursos, reaproveitando código e minimizando o retrabalho

O Application Lifecycle Management pode ser representado pela figura abaixo

ALM-022

Team Foundation Server como Application Lifecycle Management

Quando pensamos em Team Foundation Server, não estamos pensando somente em uma aplicação, estamos pensando em uma suite de aplicações que nos auxiliam na criação e no controle do ciclo de vida de um software.

O TFS é uma suite completa de aplicações para gerenciar, desenvolver, qualificar e distribuir um software. O TFS suporta diversas metodologias de desenvolvimento como SCRUM, Agile para processos Ágeis ou para processos mais formais o CMMI. Você pode criar o seu próprio ciclo de desenvolvimento de software pois todas essas metodologias pré-instaladas são totalmente customizadas assim podemos adequar as metodologias conforme a necessidade da nossa empresa.

A arquitetura do TFS pode ser vista na imagem abaixo:

6558.image_thumb

Como podemos ver, o coração é o Team Foundation Server é ele que controla todo o ciclo de desenvolvimento de software gerando métricas, controles, fluxo de estados e versões do nosso produto.

O Team Foundation Server trabalha com conceito de Work Item. Work Item são tarefas a serem controladas e através deles conseguimos relacionar bugs, quanto tempo foi gasto na execução de uma determinada tarefa, quem executou essa tarefa, em qual Build essa tarefa foi finalizada e etc. Além disso, o TFS disponibiliza o Team Foundation Source Control, Team Foundation Build e o Test Management no qual falarei nos próximos posts.

O Team Foundation Server pode ser encontrado na versão “On Premise” ou na nuvem com o nome de Visual Studio Team Service

Para saber mais sobre o Team Foundation Server, clique aqui

Abs e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *